Enfeitar os acertos

Alguns estilhaços sempre ficam pelo chão
Talvez atentos para fazer revivescer por meio de pontos rubros quem quer que ousar tocá-los
Lágrimas são boas para lavar os erros e enfeitar os acertos
O futuro é um passado já imaginado e cometido

A poesia transcende o iluminado
Relances de gozo e agonia
Ternura e fantasia
Paradoxos egrégios e óbvios

Deliberemos cada passo, a frente ou atrás
A inércia talvez seja a mais sensata conduta
Adiante para que essa dor seja sanada
Porém jamais a mais ardente decisão.
(Abraham Schneersohn)